O que o Brasil precisa para aumentar a rentabilidade do agronegócio

Published On: 1 de julho de 2019Por
COMPARTILHE

Em um país que está entre os grandes produtores mundiais de alimentos e cujo PIB é definido em grande em parte pelo setor, a rentabilidade do agronegócio é um índice de suma importância. Como sabemos, um dos grandes desafios que enfrentaremos em um futuro não muito distante é a necessidade de expandir a produção agrícola.

Isso não significa, porém, simplesmente produzir em maior escala, mas, sim, otimizar a relação entre custo, investimento e lucratividade. Atualmente, já se sabe que o aumento da produtividade está relacionado a ampliar a produção de modo sustentável, focando no cultivo de itens mais resistentes e utilizando os recursos de forma mais inteligente. Aumentar a rentabilidade do agronegócio também faz parte dessa importante equação e está relacionado a vários fatores equivalentes.

O principal deles é, sem dúvida, o uso da tecnologia: se não houver a modernização da produção com a utilização de ferramentas de última geração, não há possibilidade de expansão e, portanto, não haverá aumento da lucratividade. Além disso, podemos citar também a necessidade de redução dos custos de logística e de melhoria da infra-estrutura do país.

Transformação digital e aumento da rentabilidade do agronegócio

Como já falamos por aqui, a tendência à inovação no campo é um caminho sem volta. O progresso tecnológico é o grande responsável pelo atual patamar de produtividade e evolução do setor. Graças a ele, foram desenvolvidas, por exemplo, culturas resistentes a pragas, cereais de maior rendimento, produtos químicos e técnicas de irrigação  mais eficazes, além de todo o maquinário disponível.

Os dados de pesquisas sobre a rentabilidade do agronegócio brasileiro nos últimos tempos mostram que atividades com nenhuma ou com baixa utilização de recursos modernos – como a produção de leite sem uso de tecnologia e a pecuária de cria – possuem hoje rentabilidade negativa.

A ascensão da agricultura 4.0 tem, portanto, um papel fundamental no aumento da produtividade e do rendimento agrícola. A inovação tem se mostrado importante não apenas na otimização dos processos de produção através da automação. Ela também auxilia na diminuição dos custos e na redução dos desperdícios do negócio.

Como a tecnologia contribui para a produtividade e o rendimento no campo

A agricultura digital atual trouxe ao campo pela primeira vez a possibilidade real de automatização dos processos de produção. Hoje em dia, a tecnologia atua em várias frentes do empreendimento rural e permite o controle de todas as etapas da cadeia produtiva.

Além de permitir um monitoramento completo, o investimento em tecnologia possibilita que a execução por meio de máquinas ou ferramentas mecânicas, eletrônicas ou computacionais. Esse cenário desenha o que se chama hoje de “automação agrícola”.

Potencializando a capacidade do trabalho humano, é possível otimizar a gestão de insumos e de outros recursos, ganhar tempo e evitar perdas. Tudo isso traz mais segurança para o produtor, aumenta o rendimento do trabalho no campo e, consequentemente, a rentabilidade do agronegócio.

O controle total da produção com o registro de dados de todas as operações possibilitado por plataformas de gestão e sistemas de automatização do abastecimento de frotas, por exemplo, também desenha uma nova modalidade de gestão para o setor.

Esses recursos facilitam o planejamento estratégico e geram informações para uma tomada de decisão mais assertiva. Com os investimentos certos, além de garantir a expansão da produtividade, o empreendedor consegue aumentar a sua margem de lucro.

O cenário da rentabilidade do agronegócio no Brasil

A rentabilidade do agronegócio no Brasil enfrenta uma série de desafios. O alto custo envolvido na logística é um deles. Em função da nossa grande produção agrícola e das longas distâncias pelas quais as cargas precisam ser movimentadas no país, os gastos com transporte e armazenagem são significativos e representam a maior despesa do setor.

De acordo com uma pesquisa da Esalq/LOG, o custo estimado da logística para o agronegócio foi de aproximadamente R$ 120 bilhões em 2017. Desses, R$ 105 bilhões foram gastos com transporte e outros R$ 15 bilhões com armazenagem.

Como sabemos, a regra básica desse cenário diz que quanto menor o custo interno, maior o lucro na hora da venda. Isso significa que essas despesas elevadas reduzem a nossa competitividade diante do mercado externo e prejudicam o produtor rural.

De qualquer modo, os dados mostram que diferentes atividades possuem diferente rentabilidade – há também muitos fatores que são considerados nessa avaliação. Para citar alguns, câmbio e demanda, por exemplo, pesam sobre os preços dos produtos, assim como oferta e disponibilidade.

No entanto, como já falamos, neste cenário há pontos que interferem na rentabilidade do agronegócio de forma geral, ou seja, em qualquer tipo de atividade. Sendo um dos principais o nível tecnológico, é importante que o empreendedor tenha como meta direcionar esforços nesse sentido. Para isso, são necessários também investimentos de médio e longo prazo, mas que trarão um retorno significativo e mais adiante e garantirão o sucesso do negócio.

gestão de frota agrícola6 cuidados fundamentais na gestão de frota agrícola
redução dos custos da frotaO impacto da redução dos custos da frota nos negócios

Assine nossa newsletter


    Solução completa e escalável.

    Melhor planejamento para o cliente com possibilidade de implantação modular de acordo com a necessidades do negócio.

    • Sistema modular
    • Implantação por níveis de controle
    • Infraestrutura e Suporte ativo
    • Solução com atualização constante

    Fale com um consultor.


      INFORMAÇÕES
      Caro parceiro IONICS.

      Agora que está logado, acesse os conteúdos restritos no link abaixo.

      Conteúdo restrito


      Mande sugestões para:
      conteudo@ionics.com.br.
      Ir ao Topo